Criança birrenta!

Seja porque foi contrariado ou só para chamar a atenção mesmo, toda criança faz birra em algum momento. Vale a pena ler as dicas abaixo. Elas te ajudarão a lidar melhor com esse pequeno grande probleminha!

1- Verifique se algo realmente incomoda a criança

Mesmo que seu filho já tenha a alcunha de birrento, é importante verificar se a criança realmente não está com algum problema. Procure por algo que possa estar incomodando seu filho: sono, fome, frio, calor, dentes, dores e desconfortos em geral. Faça o check-up e, se identificar alguns dos fatores acima, tente resolvê-los.

2- Mantenha a calma

Manter a calma e passar isso à criança ainda é o melhor jeito de lidar com as birras. Olhe nos olhos do pequeno, fale devagar e em um tom suave, mostrando que o comportamento dele não atinge o seu. Se o motivo para o show for querer chamar a atenção, tudo estará resolvido e sem você precisar se descabelar.

3- Não faça pouco caso da criança

Em um acesso de raiva, não subestime, nem ridicularize a ira do pequeno. Ao invés de dizer “Está com raivinha, é?” ou “Ai, que mêda!”, prefira: “Olha, você tem todo o direito de estar com raiva, medo, frustração, chateação, ciúme, mas não pode machucar ninguém, nem se machucar”.

Ensine seu filho a reconhecer os tons de voz que ele usa. Nomeie todos eles, como reclamão, alegre, atrevido, amoroso. Na hora da birra, mostre que ele está usando um tom que você não gosta. Reconhecer suas próprias entonações é um passo importante para um pedido de desculpas.

Criança birrenta!

4- Acima de tudo, eduque

É importante que a criança saiba que seus atos terão conseqüências, por menores que sejam. Rabiscou ou rasgou o dever de casa? A criança vai ter que explicar à professora. Quebrou o brinquedo? Não vai ter reposição”.

Se o pequeno fez cara feia para alguma coisa, mande-o para o quarto dele e só o deixe sair de lá quando for capaz de esboçar um sorriso sincero. Outra alternativa é retirar algo que ele goste, como um brinquedo, por exemplo. O prazo para o mimo ficar separado da criança deve variar conforme o tipo de birra feita.

Para evitar contestações do tipo “Por que eu tenho que fazer isso?”, crie uma rotina para a criança e envolva a família inteira nessa. É importante o pequeno ter certos “deveres diários” e entender que aquilo deve ser feito para que ele contribua com a família.

Em qualquer situação, ao invés de dizer “não”, tente fornecer alternativas para a criança. Responda, por exemplo, que ela pode assistir TV assim que guardar os brinquedos ou que pode comer chocolate depois de jantar. Use sempre o “sim” nesse casos, junto com a condicional.

5- O poder da música

Se o choro não para, procure alguma coisa que acalme o seu filho. Os sons são bons aliados nessa hora, desde o barulho do aspirador de pó até uma música clássica.

No carro, o recurso sonoro também pode funcionar muito bem e evitar reclamações, principalmente no caso de viagens longas. E não precisam ser só músicas, CDs de histórias também costumam entreter as crianças. Se seu carro não tiver aparelho de som, experimente cantar junto com o pequeno.

6- Psicologia infantil!

Outra boa dica para colocar a criança na cama é deixá-la escolher o máximo possível as pequenas tarefas que antecedem esse momento. Por exemplo, sempre pergunte: “Qual perna vai primeiro no pijama, direita ou esquerda?”; “Quantos minutos você quer que eu fique do seu lado, três ou cinco?”; “Deixo a porta só um pouquinho aberta ou bastante?”. Se sentindo no controle da situação, o pequeno poderá relutar menos.

Mudar o ambiente gera novas distrações para as crianças. Se seu filho está resmungando dentro de casa, por exemplo, diga para ele ir dar uma volta, nem que seja somente até o quintal.

Na hora de fazer compras no supermercado, ocupe as crianças o suficiente para que elas não tenham tempo de ficar pedindo coisas. Deixe que elas peguem os produtos nas prateleiras, por exemplo, coloquem tudo no carrinho de um jeito bem ajeitado e deem um “ok” na lista.

7- Não valorize comportamentos incorretos

Se não conseguir mesmo evitar a birra, tem uma dica bem simples, mas nem tão fácil assim de ser seguida: ignore a criança. Tentar explicar as coisas para ela nessa hora não vai adiantar em nada e pode até piorar as coisas. É como tentar ensinar a nadar uma pessoa que está se afogando. Qualquer conversa deve esperar a birra passar, então, vire as costas e saia andando.

Fonte: Revista Pais e Filhos / Pediatria Brasil
Foto: Stock.xchng, mrgoose
Última atualização: 14/06/2012.
Gostou? Compartilhe:

Sobre o Autor:
Marcelo Meirelles
Dr. Marcelo Meirelles, Pediatra e Hebiatra. Experiência na área de Medicina, com ênfase em Pediatria, Puericultura e Adolescência.

5 comentários:
  1. Não tem nada mais chato do que criança birrenta no meio da rua. Hoje eu já não tenho crianças em casa, mas já tive, e já enfrentei situações muito desagradáveis com minha filha deitando no meio do metrô para espernear. Outra vez foi uma sobrinha que cismou de não dar a mão na hora de atravessar uma avenida movimentada... Foram situações limite. Na hora peguei pela mão e levei na marra. Mais tarde, já em casa passei um sermão "daqueles". Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Minha bebê de apenas 1 ano e 3 meses,esta fazendo birras também,quando é coñtrariada se joga no chão e não levanta chora tanto,que perde o choro e fica rocha,as vezes fico preocupada,mais penso que é dela mesmo pois meus outros filhos nunca fizeram isto,mais estou tentando mostrar que o truque dela não funciona.

    ResponderExcluir
  3. Esse tema muito interessa a mim...
    Abçs, Genis

    ResponderExcluir
  4. Ótimas dicas!!! Concordo que a melhor forma de lidar com a birra é mantendo a calma!!

    ResponderExcluir
  5. Verdade tem pessoas que esquecem que são adultos quando lidam com crianças e acabam sendo pior que as crianças.

    ResponderExcluir

E aí, o que achou do tema da postagem? Deixe seus comentários, dúvidas, críticas e sugestões!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...