Hebiatra, o médico dos adolescentes

Adolescente: nem criança, nem adulto.

Quando os filhos crescem, uma das principais dificuldades dos pais, além de conversar, é conseguir levá-los ao médico. Os adolescentes nunca acham que estão doentes e, normalmente, ficam tímidos para tratar de assuntos relacionados ao próprio corpo.

O problema é que para esta turma se um pediatra é "coisa de criança", a simples menção de fazer uma consulta com um urologista – no caso dos meninos – ou um ginecologista – caso das meninas – pode se transformar num grande transtorno doméstico. É aí que entra em cena o hebiatra.

O hebiatra é um dos profissionais da área médica que pode ajudar a diminuir a ansiedade dos jovens e esclarecer algumas das muitas dúvidas que surgem nesta fase da vida - que vai dos 10 aos 18 anos. O médico é um pediatra com formação específica para lidar com adolescentes.

A especialidade, apesar de não ser muito conhecida, existe há pelo menos 40 anos, e o nome hebiatria é uma referência à Hebe, deusa da juventude na mitologia grega.

A Associação Médica Brasileira reconheceu a especialidade em 1998, mas são poucos os cursos de medicina que oferecem essa formação, explica Nilson Becker, pediatra com formação em hebiatria, que atende cerca de 150 consultas por mês, destas 20% são de adolescentes.

Adolescência, época de muitas mudanças

O crescimento da especialidade tem ocorrido devagar, as pessoas ainda não têm conhecimento da existência de um profissional que atenda especialmente esta faixa etária, mas assim que "os adolescentes começarem a perceber o hebiatra como um médico diferente, que entende suas dúvidas e problemas, a procura deve aumentar substancialmente", prevê Becker.

Hebiatra, o médico dos adolescentes

Segundo o médico, as mudanças físicas começam na puberdade, antes ainda de caracterizar a adolescência, que é marcada pelas modificações psicológicas e comportamentais. "No início da puberdade, seria interessante fazer uma consulta ao hebiatra, pois este está preparado para orientar e tranqüilizar os jovens", sugere o especialista.

Do ponto de vista biológico, não há outra época marcada por tantas mudanças físicas, psíquicas e emocionais, além de hormônios em profusão para possibilitar o amadurecimento sexual.

TIMIDEZ - Becker afirma que não se deve fazer generalizações quanto ao comportamento dos adolescentes, como a de que são todos tímidos. "Alguns são extrovertidos, outros são tímidos. Não existe um padrão de comportamento", afirma, mas admite que é preciso ter um bom preparo e jogo de cintura para lidar com pessoas nesta faixa de idade. O profissional deve ter habilidades especiais para conquistar a confiança do jovem e tranqüilizar os pais.

Principais problemas abordados nas consultas

Segundo Becker, os problemas ambulatoriais mais abordados nas consultas com os adolescentes são ligados ao crescimento. Os meninos se preocupam com seu desenvolvimento físico e dos órgãos genitais. As meninas procuram o médico por atraso da menstruação e preocupação com o crescimento dos seios e de pêlos, ou com a falta deles.

O Centro de Atendimento e Apoio ao Adolescente da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), grupo formado por hebiatras e outros especialistas, desenvolveu uma pesquisa que apontou os principais problemas abordados pelos jovens durante as consultas. O resultado foi mensurado separadamente para meninos e meninas.

As principais queixas dos meninos se referem à baixa estatura, desenvolvimento físico dos músculos e aumento das mamas, doenças associadas ao pênis e também procuram ajuda para aconselhamento na prática de esportes. As meninas já se preocupam mais com o peso e procuram os especialistas em caso de obesidade e transtornos alimentares, além de queixas que envolvem a menstruação, corrimentos e infecções vaginais.

No atendimento aos adolescentes, questões ligadas às doenças sexualmente transmissíveis (DST) sempre são abordadas como forma de prevenção. Atualmente, existem 27 doenças que podem ser transmitidas pelo contato sexual, e no Brasil, são cerca de dois milhões de pessoas contaminadas com algum tipo delas.

Como é a consulta?

Os especialistas alertam para a necessidade de realização de alguns exames de rotina, e aconselham pelo menos uma consulta no início da puberdade, que deve ser repetida a cada seis meses. Depois desse contato inicial, é recomendada pelo menos uma visita anual ao especialista.

O atendimento é feito junto com os pais ou responsáveis e depois o adolescente fica sozinho com o médico.

Esses momentos servem para o jovem ficar à vontade em expor outros problemas e dúvidas que o afligem, e não querem compartilhar com a família. O médico fala com os pais sobre a conduta a seguir e, se o jovem permitir, o médico pode contar o que foi conversado em particular, sempre respeitando sua privacidade.

A adolescência traz dificuldades em tantas áreas que somente o olhar atento de um especialista a todo esse universo pode ajudar a prevenir muitos problemas de saúde e diminuir a ansiedade dos jovens. O período é difícil e necessário ao pleno desenvolvimento do adulto que virá. O aprendizado e o apoio psicológico é que trarão segurança para os jovens em suas próprias decisões na vida.

O médico, nas consultas, deve observar e analisar vários quesitos que influenciam na saúde e na qualidade de vida do adolescente, como seus hábitos alimentares, comportamentais e sexuais, além do relacionamento com a escola e com a família. Por essa razão, alguns especialistas defendem o atendimento do adolescente pelo hebiatra com o apoio de outros profissionais como nutricionistas, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, psicólogos, psiquiatras e professores de Educação Física.

por Marcelo Meirelles

Médico Pediatra, com especialização em Medicina do Adolescente. Responsável pelo Pediatria Brasil.
Fonte: Pediatria Brasil
Foto: Association for Natural Psychology
Última atualização: 28/06/2011.

Quer saber mais sobre a Medicina do Adolescente?

Entrevista com um hebiatra

O que é hebiatria

Gostou? Compartilhe:

Sobre o Autor:
Marcelo Meirelles
Dr. Marcelo Meirelles, Pediatra e Hebiatra. Experiência na área de Medicina, com ênfase em Pediatria, Puericultura e Adolescência.

14 comentários:
  1. eu gotaria de saber qual intituiçao publica tem ese adentimanto gratuito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em São Caetano do Sul há atendimento hebiátrico pelo SUS somente para moradores da cidade.

      Excluir
  2. Na cidade de caçapava interior de São Paulo,existe um posto de atendimento.

    ResponderExcluir
  3. na verdade o adolecênte quando estar perto de entrar na puberdade deve ser medicado

    ResponderExcluir
  4. Bom dia sou do Rio de Janeiro preciso de um médico Hebiatra para minha filha.
    Não conheço nenhum no Rio de Janeiro, pode me indicar um colega.

    ResponderExcluir
  5. Sou do Rio de Janeiro.
    Preciso de um medico hebiatria e aqui não conheço nenhum, pode me indicar?

    ResponderExcluir
  6. eu estou indo a um medico hebiatra a pouco tempo,mais,esta mudando muito a minha vida na escola, en casa, na rua, com minha familia, com minhas colegas e amigas, com meus professores,codernadores e diretores. resumindo mudou a minha vida toda. eu so dou uma dica, leve seu filho(a)a um medico hebiatra.vai mudar a vida dele(a) e a sua vida tanbem . sou maria eduarda e tenho 13 anos de idade.

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde, e não deixem de procurar um Hebiatra

    ResponderExcluir
  8. pais e filhos precisam conhecer este especialista

    ResponderExcluir
  9. boa tarde !estou com uma dúvida...tenho um filho de 16 anos diz ele que ainda não namorou, não gosta quando eu falo de garotas ...é normal alguns garotos demora mais a falar sobre sexo que outros ? Estou muito preocupada com isso o que uma mãe pode fazer com essas dúvidas?

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde, gostaria de uma indicação de um especialista na região d tatuapé....

    ResponderExcluir
  11. Agradeço e parabenizo pela atitude de colocar seus conhecimentos a bem da sociedade. Eu sou professor de biologia e ciencias e gostaria de saber se posso utilizar seus textos e orientações para as aulas que planejo sobre sexualidade e adolescencia. trabalho em escola publica municipal e estadual na cidade de Goiânia - Goias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Neivaldo! Obrigado pelos elogios! Utilize à vontade os textos e orientações do site! Apenas lhe peço que cite a fonte e me ajude a divulgar o Pediatria Brasil e a Hebiatria - Medicina do Adolescente!

      Excluir
  12. Gostaria de indicações de um bom hebiatra em Curitiba!
    Obrigada!

    ResponderExcluir

E aí, o que achou do tema da postagem? Deixe seus comentários, dúvidas, críticas e sugestões!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...